compartilhe

A maior mostra do artista chinês, e primeira realizada no Brasil, ocupará o CCBB e o Paço Imperial até 4 de novembro.

O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro (CCBB Rio) abre ao público Ai Weiwei ­ Raiz. Com projeto desenvolvido e curado por Marcello Dantas, a mostra faz parte da comemoração de 30 anos do centro cultural e reúne 60 obras do chinês radicado em Berlim. Será a oportunidade de conhecer a história do brilhante artista por meio de seus trabalhos mais icônicos, além de sua produção desenvolvida a partir da imersão profunda pelo Brasil e suas tradições. A premiada montagem – eleita pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) a melhor mostra internacional de 2018 durante sua temporada na Oca, em São Paulo – já passou também peloMON, em Curitiba, e pelo CCBB de Belo Horizonte. Em sua última parada, Ai Weiwei – Raiz vai ocupar o segundo andar, a rotunda e a área externa do CCBB Rio, além do Paço Imperial, entre 21 de agosto e 4 de novembro.

Um dos principais nomes da cena contemporânea mundial, Ai Weiwei é conhecido por realizar grandes instalações. Esse aspecto de sua produção ficará claro para o visitante antes mesmo de entrar no CCBB. Ambientada na área externa, em frente ao prédio histórico, o público encontrará Forever Bicycles (Bicicletas Forever). Composta por mais de mil bicicletas de aço inoxidável, a obra monumental é um ready-made do artista – ele se apropria desse objeto icônico da cultura chinesa, que foi o principal meio de transporte no país até recentemente. Para o artista que passou a infância em exílio com sua família durante a Revolução Cultural Chinesa, a bicicleta representava também a ideia de liberdade.

Outros três trabalhos que seguem o mesmo conceito estarão na rotunda do centro cultural. Grapes (Uvas) é uma instalação que une 32 bancos de madeira da Dinastia Qing, por meio de técnicas tradicionais de marcenaria chinesa. Já Martin e Level (Nível) fazem parte da série Seven Roots (Sete Raízes), criadas a partir de raízes encontradas desenterradas na região de Trancoso, com o objetivo de criar obras que unissem contextos culturais chineses e brasileiros. A imersão pelo país contou com a consultoria da designer Paula Dib e colocou o artista em contato com comunidades, artesãos, manifestações culturais e recursos regionais até então desconhecidos por ele, resultando em trabalhos inéditos, feitos com madeira, sementes, raízes, tecidos e couro.

Ai Weiwei se propôs a desvendar e absorver a cultura local e moldar objetos que representam a biodiversidade, a paisagem humana e a criatividade brasileira. É o caso do múltiplo formado por moldes em porcelana de quatro elementos tipicamente brasileiros que, com as iniciais de seus nomes, formam a palavra FODAFruta do Conde, Ostra, Dendê e Abacaxi. Esculturas de madeira à maneira dos Ex-votos feitos por artesãos de Juazeiro do Norte (CE), trabalhos com couro e o alfabeto armorial, de Ariano Suassuna, também fazem parte do conjunto de obras.

ENDEREÇO

Rua Primeiro de Março, 66 Centro Cultural Banco do Brasil - Centro
Rio de Janeiro - RJ
20010-000

horário de
Funcionamento

Quarta a segunda, 9h às 21h.

Envie por email

Enviando mensagem...