compartilhe

“Genealogias do Contemporâneo – Coleção Gilberto Chateaubriand” é uma exposição panorâmica que reúne artistas fundamentais da arte brasileira entre os anos 1920 e 1970.

Reunindo mais de 100 trabalhos em diferentes técnicas, como pintura, escultura, fotografia, desenho e objeto. Entre os artistas presentes estão nomes como Abraham Palatnik, Alfredo Volpi, Ascânio MMM, Carlos Vergara, Candido Portinari, Cildo Meireles, Franz Weissmann, Helio Oiticica, José Pancetti, Lygia Clark, Sergio Camargo, Tarsila do Amaral, Tunga, Waltercio Caldas e Wesley Duke Lee. O acervo é dividido em quatro núcleos: Brasil: visões e vertigens; Cidade Partida: conflitos e afetos; Corpos Híbridos: identidades em trânsito; e Respirações Geométricas. Artistas e obras podem participar simultaneamente de vários núcleos. Estas genealogias do contemporâneo querem também mostrar as raízes modernas do presente e o quanto ele é múltiplo, inacabado e crítico.

Uma última seção, separada do todo, propõe um mergulho na coleção, para daí destacar um artista, uma fase ou um problema da arte brasileira. Nesta primeira prospecção, trouxemos à luz Roberto Magalhães e sua surpreendente produção gráfica entre os anos 1963 e 1967, tendo em vista a contundência política de sua linha raivosa e delirante.

 

ENDEREÇO

Avenida Infante Dom Henrique, 85 Parque do Flamengo - Glória
Rio de Janeiro - RJ
20021-140

+55 21 2240-4944

horário de
Funcionamento

Terça à sexta, 12h às 18h ; a bilheteria fecha 17h30 – Sábados, domingos e feriados 11h – 18h; a bilheteria fecha 17h30. Fechado para o Carnaval (de 06 à 10 de Fevereiro)

Envie por email

Enviando mensagem...