compartilhe

Versão cênica de Paulo de Moraes para a obra-prima de William Shakespeare, Hamlet volta em cartaz na Fundição Progresso.

Depois de estrear Angels in America, cumprindo temporadas em São Paulo e no Rio de Janeiro, a Armazém Companhia de Teatro volta a se apresentar com Hamlet, um de seus maiores sucessos. A nova temporada de Hamlet será de 7 de agosto a 1º de setembro, na Fundição Progresso, centro cultural e casa de espetáculos situado no bairro da Lapa, junto aos Arcos da Lapa.
Partindo da obra fundamental de Shakespeare, a ideia geral da companhia é encontrar um Hamlet do nosso tempo. Um Hamlet cheio de som e fúria. Não numa atualidade forçada, mas ressaltando aspectos da obra que dialogam com esse coquetel de conflitos contemporâneos que vemos todos os dias jorrando nas grandes cidades do mundo. Em cena, sete atores dão vida aos personagens de Shakespeare: Patrícia Selonk (Hamlet), Ricardo Martins (Claudius), Marcos Martins (Polonius), Lisa Eiras (Ofélia), Jopa Moraes (Laertes), Isabel Pacheco (Gertrudes) e Luiz Felipe Leprevost (Horácio). Em participação em vídeo, Adriano Garib é o Espectro.
A montagem da Armazém foi vencedora de 6 prêmios: Prêmio Cesgranrio de Teatro 2017 de Melhor Iluminação, Prêmio Shell 2017 de Melhor Cenário, vencedor do Prêmio APTR 2017 de Melhor Atriz Coadjuvante (Lisa Eiras) e Melhor Cenário, vencedor do Prêmio Cenym 2017 de Melhor Atriz (Patrícia Selonk) e Melhor Companhia de Teatro. Além de ter sido indicado nas categorias: melhor espetáculo, melhor direção, melhor figurino e categoria especial (pela trilha sonora original), de várias premiações.

A história de Hamlet é a história da destruição de uma ordem estabelecida. Shakespeare representa a corte real dinamarquesa mergulhada em corrupção. Assassinato, traição, manipulação e sexualidade são as armas usadas na guerra para preservar o poder. No centro dessa história está Hamlet, um homem desesperadamente preocupado com a natureza da verdade, um homem notável que quer ser mais verdadeiro do que, provavelmente, é possível ser. E que exige do resto do mundo que sejam todos verdadeiros com ele. Mas é possível conhecer a si mesmo integralmente? É possível conhecer integralmente as pessoas a seu redor? Hamlet se fragmenta, nossa época o faz assim, um sujeito destrutivo, atormentado e letal.

– É importante tratar Shakespeare como se ele fosse um genial dramaturgo recém-descoberto com algumas coisas urgentes a dizer sobre a guerra, sobre a loucura do mundo e sobre nossos líderes políticos modernos – comenta Paulo de Moraes, diretor do espetáculo Hamlet e fundador da Armazém Companhia de Teatro, em 1987. Paulo escreveu o roteiro das cenas antes de Maurício Arruda Mendonça fazer a tradução. – Maurício conseguiu uma poesia sem pompa, que comunica sem perder a beleza. E é grande mérito dos atores que essa poesia chegue rasgando, ela é língua, ela é corpo, ela é carne.

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia-entrada)

ENDEREÇO

Rua dos Arcos, 24 Fundição Progresso - Espaço Armazém - Centro
Rio de Janeiro - RJ
20230-060

horário de
Funcionamento

Quinta a sábado, 19h30. Domingo, 18h. Não haverá apresentação no dia 24/8, sendo transferida para 26/8, às 19h30.

Envie por email

Enviando mensagem...