compartilhe

Orquestra faz homenagem aos 250 anos do nascimento do compositor alemão Ludwig van Beethoven.

A história da música teve seu curso definitivamente marcado por Ludwig van Beethoven. Em 2020, a Orquestra Petrobras Sinfônica homenageia os 250 anos de nascimento do compositor alemão, um dos mais respeitados e influentes nomes da música clássica de todos os tempos. Serão interpretadas as 9 Sinfonias que redefinem a história do compositor, com apresentações no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e na Sala Cecília Meireles. No programa também estão Concerto para violino e orquestra, assim como suas obras de música de câmara.

A temporada terá início no dia 14 de março, com a “Série Portinari – Ciclo Beethoven”, que conta com três concertos no Theatro Municipal, todos com regência de Isaac Karabtchevsky, maestro titular da Orquestra. Dentre os convidados para essa temporada, destaca-se o violinista alemão Linus Roth, vencedor do Echo Klassik Award em 2006 e 2017, que também dará workshop e masterclass.

A temporada clássica da Orquestra Petrobras Sinfônica conta com 22 concertos, divididos em quatro séries. As séries “Portinari” e “Djanira” são apresentadas no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, aos sábados às 16h e aos domingos às 17h, respectivamente. Haverá ainda um concerto especial na Cidade das Artes, com apresentação exclusiva unindo as séries “Portinari” e “Djanira”, com obras de Beethoven, Johannes Brahms e George Gershwin, com regência da maestrina Natalia Salinas e da pianista Sylvia Thereza. Já a série “Petrobras Sinfônica Na Sala” acontece na Sala Cecília Meireles, as sextas e sábados às 19h, e a Série de Câmara“, no Espaço Guiomar Novaes, todas as terças e quartas do mês de setembro, às 19h.

Através dos ciclos “Beethoven” (Série Portinari) e “Música das Américas” (Série Djanira) as já tradicionais séries batizadas em homenagem a dois grandes pintores brasileiros, a Orquestra Petrobras Sinfônica apresenta o melhor da literatura de concerto de grandes mestres. “Valorizar a cultura ímpar de nosso continente e estreitar laços que nos unem de forma indelével era um desejo antigo, agora traduzido em realidade. Além do Theatro Municipal, o Ciclo Beethoven se estenderá à Sala Cecília Meireles, onde também realizaremos uma serie robusta, diria histórica, de música de câmara. Teremos a imensa alegria de contar com solistas e maestros de expressão internacional abrilhantando nossa temporada em programas instigantes e arrebatadores”, afirma Isaac Karabtchevsky, Diretor Artístico e Regente titular do grupo.

Em maio e junho, a Petrobras Sinfônica fará três apresentações pela “Série Djanira” – Música das Américas, no Theatro Municipal, com regência do maestro e clarinetista britânico Michael Collins, interpretando composições do argentino, Astor Piazzolla, do americano Aaron Copland e do brasileiro Heitor Villa-Lobos. Cristiano Alves e Fernando Thebaldi, membros da Diretoria Artística, definem as Américas como uma grande e multifacetada família que habita uma casa gigante. “O mundo conhece o tempero das Américas, que produz arte com alegria, comprometimento, paixão e excelência, numa fusão de linguagens, estilos e sotaques. Nossa identidade é não termos apenas uma identidade, mas sim várias que se completam na proposta de dar voz à música das metrópoles, dos guetos, dos campos, das tribos e florestas. De todos os povos e etnias. Somos música! Somos Américas!”

A série “Petrobras Sinfônica Na Sala” acontece em uma das casas de concerto mais tradicionais do Brasil, dotada de condições acústicas extraordinariamente privilegiadas, a Sala Cecília Meireles. De festivais de música barroca a bienais de música contemporânea, a Sala recebe espetáculos de várias vertentes e formatos. Em março de 2020, a Petrobras Sinfônica abre as portas da Sala trazendo as cordas da orquestra, em concerto onde Barber, Britten e Strauss se tornam ilustres anfitriões, três concertos dedicados ao compositor homenageado, em março, agosto e setembro, com regências de Isaac Karabtchevsky, Tobias Volkmann e Carlos Prazeres, respectivamente.

Beethoven, homenageado nos seus 250 anos de nascimento, estará também no Espaço Guiomar Novaes durante o mês de setembro, durante a “Série de Câmara”, que também receberá cinco concertos dos brasileiros Heitor Villa-Lobos e Alberto Nepomuceno, sendo esse último considerado o “pai” do nacionalismo na música erudita brasileira, recebendo também homenagens neste ano pelos 100 anos de seu falecimento.

Em paralelo à temporada, a Orquestra realiza diversas iniciativas que têm o objetivo de democratizar a música clássica e renovar o público do gênero, como nas séries “Em ação”, “Pelo Rio” e “Ensaios Abertos”. A proposta artística nos projetos “O clássico é…”, “Álbuns” e “Playlist” desemboca em concertos e gravações que atingem diferentes estilos, públicos, linguagens e atmosferas incrivelmente ricas e fascinantes. Nessa mesma linha, a Orquestra já apresentou concertos como “Ventura” (Los Hermanos), “Thriller” (Michael Jackson), “Dark Side of the Moon” (Pink Floyd), “Black Album” (Metallica), infantis “O Mágico de Oz”, “O Pequeno Príncipe”, “Os Saltimbancos”, além de ter tocado ao lado de nomes como Nando Reis e Lulu Santos.

A Petrobras Sinfônica tem uma programação especial para as crianças, como a “Série Em Família”, o “BeBeethoven”, concebido para toda a família, e especialmente voltado à primeira infância, e a “Série Concertinho”, que apresenta compositores clássicos com uma roupagem voltada para criança, entre outros. 


Sobre a Orquestra Petrobras Sinfônica

 

Aos 47 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa um lugar de prestígio entre os maiores conjuntos musicais da América Latina. Criada pelo maestro Armando Prazeres, e patrocinada pela Petrobras desde 1987, a orquestra conta com uma formação de mais de 80 instrumentistas e tem como Diretor Artístico e Regente Titular o maestro Isaac Karabtchevsky, o mais respeitado regente brasileiro e um nome consagrado no panorama internacional. 

Modelo de gestão: A Associação Orquestra Pró Música do Rio de Janeiro, entidade que administra a orquestra, possui uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra do país gerida por seus próprios músicos.

Sobre a PETROBRAS: A Petrobras completou 33 anos de patrocínio da Orquestra Petrobras Sinfônica em 2019. Uma parceria essencial para mantê-la entre os principais conjuntos da América Latina, sempre desenvolvendo um importante trabalho de democratização da música clássica e de renovação do público do gênero.

Programação Completa
 

– SÉRIE PETROBRAS SINFÔNICA NA SALA 

Petrobras Sinfônica Na Sala – Sala Cecília Meireles – 6 e 7/03 – 19h

Isaac Karabtchevsky, regente

SAMUEL OSBORNE BARBER

Adagio para cordas, op. 11

 

EDWARD BENJAMIN BRITTEN

Serenata para tenor, trompa e orquestra de cordas, op.31

 

RICHARD GEORG STRAUSS

Metamorfose, TrV 290

 

Petrobras Sinfônica Na Sala – Sala Cecília Meireles – 14 e 15/08 – 19h

Tobias Volkmann, regente

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfonia nº 3 em Mi bemol maior, op. 55, “Heroica”

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfônica nº 8 em Fá maior, op. 93

Petrobras Sinfônica Na Sala – Sala Cecília Meireles – 18 e 19/09- 19h

Carlos Prazeres, regente

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfonia nº 4 em Si bemol maior, op. 60

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfonia nº7 em Lá maior, op. 92

 

– SÉRIE PORTINARI

 

PORTINARI 1 – Ciclo Beethoven – 14/03- 16h – Theatro Municipal

Isaac Karabtchevsky, regente

Linus Roth, violino

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Concerto para violino e orquestra, em Ré maior, op. 61

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfonia nº 5 em dó menor, op. 67, [“Destino”]

PORTINARI 2 – 05/09 – 16h – Theatro Municipal

Issac Karabtchvsky, regente

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfonia nº 2 em Ré maior, op. 36

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfonia nº 6 em Fá maior, op. 68, “Pastoral”

PORTINARI 3 – 10/10 – 16h – Theatro Municipal

Isaac Karabtchevsky, regente

Lina Mendes, soprano

Carolina Faria, tenor

Paulo Mandarino, tenor

Savio Sperandio, barítono

Coro Sinfônico do Rio de Janeiro

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfonia nº 1 em Dó maior, op. 21

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfonia nº 9 em ré menor, op. 125 [“Coral”]

 

Djanira e Portinari 4 – 22/03 – 17h – Cidade das Artes

Natalia Salinas, regente

Sylvia Thereza, piano

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Abertura Coriolano, op. 62

 

JOHANNES BRAHMS | orq.: ARNOLD FRANZ WALTER SCHÖNBERG

Quarteto para piano nº 1, op.25

 

GEORGE GERSHWIN | FERDE GROFÉ

Rhapsody in Blue

 

– SÉRIE DJANIRA

 

DJANIRA 1 – Música das Américas – 03/05 – 17h – Theatro Municipal

Michael Collins, regente e clarineta

 

ASTOR PANTÁLEON PIAZZOLLA

María de Buenos Aires: Fuga y Misterio

Arranjo de Arthur Barbosa

 

AARON COPLAND

Concerto para clarineta e orquestra de cordas, com harpa e piano

Dedicado à Benny Goodman

 

HEITOR VILLA-LOBOS

Bachianas Brasileiras nº 7

 

DJANIRA 2 – Música das Américas – 07/06 – 17h – Theatro Municipal

Isaac Karabtchevsky, regente

Cristina Braga, harpa

 

SAMUEL OSBORNE BARBER

Meditação e Dança da Vingança de Medeia, op. 23a

 

ALBERTO EVARISTO GINASTERA

Concerto para harpa, op. 25

 

HEITOR VILLA-LOBOS

Sinfonia nº 6, “Sobre a linha das montanhas”

Dedicada à Mindinha

DJANIRA 3 – 14/06 – 17h – Theatro Municipal

Felipe Prazeres, regente

 

MOZART CAMARGO GUARNIERI

Três danças para orquestra

 

ALBERTO EVARISTO GINASTERA

Estância: Quatro Danças, op. 8a

 

LEONARD BERNSTEIN

West Side Story: Danças sinfônicas

 

ATURO MÁRQUEZ

Danzón nº 2

– SÉRIE DE CÂMARA

 

Série de Câmara – 01 e 02/09 – 19h – Espaço Guiomar Novaes

ALBERTO NEPOMUCENO DE OLIVEIRA

Quarteto de cordas nº 1 em si menor

 

ALBERTO NEPOMUCENO DE OLIVEIRA

Quarteto de cordas nº 3, “Brasileiro”

 

Série de Câmara – 08e 09/09 – 19h – Espaço Guiomar Novaes

HEITOR VILLA-LOBOS

Trio para oboé, clarineta e fagote

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Quinteto para piano e sopros em Mi bemol maior, op. 16

 

Série de Câmara – 15 e 16/09 – 19h – Espaço Guiomar Novaes

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Septeto para clarineta, trompa, fagote, violino, viola, violoncelo e contrabaixo em Mi Bemol maior, op. 20

Série de Câmara – 22 e 23/09 – 19h – Espaço Guiomar Novaes

HEITOR VILLA-LOBOS

Choros nº 7, “Settimino”

 

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Sinfonia nº 7 em Lá maior, op. 92 (para sopros)

Série de Câmara – 29 e 30/09 – 19h – Espaço Guiomar Novaes

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Quarteto de cordas nº 11, op. 95, “Serioso”

 

HEITOR VILLA-LOBOS

Quarteto de cordas nº 7

Envie por email

Enviando mensagem...